São Paulo ganha Guia de Acessibilidade Cultural

Ampliar o acesso e a inclusão a cultura de mais de 2,7 milhões de paulistanos com deficiência é o principal objetivo da segunda edição do Guia de Acessibilidade Cultural da Cidade de São Paulo. Iniciativa do Instituto Mara Gabrilli, o guia lista 252 teatros, museus, cinemas, entre outros equipamentos culturais, preparados para receber pessoas com deficiência. Com versões impressa e on-line - www.acessibilidadecultural.com.br -, o guia traz informações específicas por tipo de deficiência - auditiva, física, visual e intelectual, e itens gerais de acessibilidade como estacionamento com vagas reservadas, disponibilidade de cadeiras de rodas, entre outros. O lançamento no dia 5 de dezembro, em evento no Cine Sabesp, em Pinheiros, São Paulo, encerra a semana do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, celebrado na quarta-feira, 3.


“Queremos que a pessoa com deficiência saia de casa para usufruir dos equipamentos de cultura e lazer que a cidade dispõe e muitas vezes são desconhecidos”, afirma Mara Gabrilli, fundadora do IMG. “Hoje, felizmente, diversos locais já contam com espaços que oferecem acessibilidade física e de conteúdo. Uma pessoa cega, por exemplo, pode ser tocada por um belo filme com o auxílio da audiodescrição. O mesmo ocorre com um surdo que pode ter acesso ao diálogo com o uso da legenda closedcaption ou da janela de Libras. O guia traz essas informações de forma prática e interativa para que não só o público com deficiência abra seus horizontes, mas toda a população possa conhecer uma São Paulo muito mais inclusiva”, conclui Mara.

A segunda edição do Guia de Acessibilidade Cultural da Cidade de São Paulo, originalmente lançado em 2012, apresenta 66 novos espaços. São 252 estabelecimentos que se destacam por permitir acesso a pessoas com vários tipos de deficiência.


Todos os locais listados foram avaliados pela oferta de acessibilidade física, acesso às informações, mediação para o público com deficiência e as propostas inclusivas desenvolvidas pelo local. Também compõe a avaliação a oferta de recursos como intérpretes de Libras, audiodescrição, legendagem e o atendimento ao público com deficiência intelectual.


Na versão on-line, por meio de uma ferramenta de busca, é possível encontrar teatros, museus, cinemas, centros culturais, casa de espetáculos e bibliotecas acessíveis. As informações podem ser localizadas tanto pela categoria do espaço, quanto pela região da cidade. Também é possível realizar buscas pelo nome do espaço cultural. As informações foram levantadas entre agosto e novembro de 2013, e os equipamentos que não ofereciam nenhum recurso de acessibilidade ou estavam em reforma na época da avaliação não entraram no guia.


“O Guia é um instrumento importante de inclusão social para a pessoa com deficiência que vive ou visita a cidade de São Paulo. Ele é parte do nosso esforço em melhorar a qualidade de vida de todos. Ao mesmo tempo, funciona como um estímulo para que centros de cultura implantem, cada vez mais, formas de acessibilidade”, explica Camila Benvenuto, coordenadora institucional do IMG.

Realizado pelo Instituto Mara Gabrilli, com apoio da Lei de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura e Governo Federal, o Guia de Acessibilidade Cultural da Cidade de São Paulo conta com a parceria da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo e patrocínio da Sabesp.



Principais Necessidades de Acessibilidade:


Auditiva: Programa cultural que ofereça intérpretes em Libras (Língua Brasileira de Sinais). Para os surdos oralizados e com baixa audição são indicados recursos de indução magnética, intérpretes de voz ou de leitura labial.


Física: Arquitetura amigável, que não barre suas entradas e torne o passeio agradável. Assim, as rampas são preferíveis aos degraus, as maçanetas devem ser leves e de alavanca, elevadores devem ter portas automáticas, botões, corrimões e balcões devem ser mais baixos .


Intelectual: Os visitantes com deficiência intelectual devem ser respeitados em relação às suas diferenças cognitivas, e ter acesso a acompanhamento quando necessário.


Visual: O local precisa ter explicações que sejam compreendidas por meio do tato e da audição do visitante, como placas em Braille e audiodescrição.



Sobre o Instituto Mara Gabrilli (IMG)


Fundado em 1997, o IMG é uma organização sem fins lucrativos que desenvolve e executa projetos para melhorar a qualidade de vida de pessoas com deficiência. Também atua no apoio a pesquisas científicas para cura de paralisias, apoio a atletas do esporte paraolímpico e na orientação para desenvolvimento social de pessoas com deficiência em situação de vulnerabilidade social.


Mais informações: www.img.org.br

#acessibilidade #sãopaulo #guia #cultura

Nenhum tag.
Palavras-chave
Recentes